15 outubro 2018

#ParaVer - Elite


Elite é uma série de televisão espanhola que estreou esse mês na plataforma Netflix. A série foi produzida pela Zeta Producciones e foi criada por Carlos Montero e Darío Madrona.

A primeira temporada tem 8 episódios, que mostram a história de três garotos pobres que vão estudar em uma das escolas mais cara do país após um terremoto destruir sua antiga escola. Tentando conviver com as diferenças e entrar nesse mundo da elite espanhola, um assassinato acontece, e agora a polícia está atrás de quem tem algum motivo para matar Marina.  

Comecei a assistir a série depois de ler que era uma mistura de Rebelde com Gossip Girl, mas não se deixe enganar, a única semelhança de Elite com essas séries é que os personagens são adolescentes e a história se passa em maior parte em uma escola. Dando bem a real, a série está mais para Skins, e quem sabe, How To Get Away with Murder

Essa série acabou sendo uma grande surpresa, eu sempre tive muita preguiça de maratonar séries, mas comecei a assistir Elite e acabei vendo tudo de uma só vez em um único dia. É uma série intrigante, você fica o tempo todo querendo descobrir quem matou Marina, e apesar de o roteiro não ser grandes coisas, eles conseguem te prender e todo final de episódio te deixa com aquela curiosidade para ver mais. 

Gostei muito do figurino, trilha sonora e da diversidade que a série apresenta. Não costumo assistir muitos filmes e séries espanholas, mas a cada dia estou gostando mais do que eles têm a oferecer, principalmente na parceria com a Netflix. A série tem muito clichê, muito furo de roteiro, muitas cenas de sexo e algumas atuações fracas, mas gostei do resultado final e recomendo para quem gosta do estilo.

Sinose:
Após um terremoto destruir uma escola pública, o governo envia três adolescentes de classe operária para Las Encinas, uma das melhores e mais caras escolas do país, frequentada pelos filhos da elite espanhola. O confronto entre aqueles que têm tudo e aqueles que não têm nada a perder cria uma atmosfera carregada e acaba levando a um assassinato. Quem estará por trás do crime?

Elenco:
María Pedraza como Marina Nunier Osuna
Itzan Escamilla como Samuel García Domínguez
Miguel Bernardeau como Guzmán Nunier Osuna
Miguel Herrán como Christian Varela Expósito
Jaime Lorente como Fernando "Nano" García Domínguez
Álvaro Rico como Pólo
Arón Piper como Ander
Mina El Hammani como Nadia Shana
Ester Expósito como Carla Rosón
Omar Ayuso como Omar Shana
Danna Paola como Lucrecia "Lu"
Jorge Suquet como Martín
Lola Marceli como Beatriz
Ainhoa Santamaría como Inspetora
Abdelatif Hwidar como Yusef
Elisabet Gelabert como Azucena

Trailer:


11 outubro 2018

Resenha: Ligações


Finalmente resolvi assinar o Kindle Unlimited, para quem não conhece, é um serviço estilo Netflix para livros, você pode pegar na biblioteca 10 livros emprestados por vez, e assim que terminar a leitura, ir trocando por outros livros que estão disponíveis no catalogo do serviço.

Confesso que assinei sem saber muito bem como funcionava, e quebrei a cara logo de início quando descobri que o livro que eu tanto queria ler não estava disponível hahahaha lerdeza da minha parte, pois na Amazon sempre mostra quais livros estão disponíveis e quais não estão. 

Resolvi então procurar dicas de livros que estavam no catálogo e acabei descobrindo que os livros da querida Rainbow Rowell estão disponíveis no Kindle Unlimited. Escolhi então começar a ler Ligações, que é o livro da resenha da vez. 


Ligações
Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Tradução: Caio Pereira

"Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura. Talvez sempre esteve em segundo plano. Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças. Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo. Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer… Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?"

Essa história se passa na semana que antecede o natal de 2013. A protagonista, Georgie McCool, é uma roteirista de séries de comédia para televisão que acaba de receber uma super proposta no trabalho, mas para seu sonho profissional se realizar, ela não poderá ir na viagem em família para Omaha no natal e terá que ficar na cidade trabalhando contra o tempo. 

Georgie ama seu marido Neal, porém está vendo seu casamento de 15 anos estagnado, e receia que não participar dessa viagem pode ser o ponto final desse relacionamento. Porém, mesmo com esse medo, ela resolve ficar na Califórnia enquanto Neal e suas duas filhas viajam para Omaha.

Correndo da solidão de ficar alguns dias sozinha em casa, Georgie resolve ficar na casa da sua mãe, que insiste em dizer que ela foi largada pelo marido. Georgie não foi largada pelo marido, ainda, ele apenas viajou sozinho com as filhas para passar o natal com sua família. Mas será isso mesmo?

Georgie tenta o tempo todo falar com seu marido e filhas, porém o seu celular tem uma bateria horrível e ela vive tendo que ficar conectada a algum cabo. Sem paciência, ela resolve pegar seu antigo telefone amarelo que ficava no seu antigo quarto de adolescente e ligar para a casa de Neal em Omaha, mas uma coisa surpreendente acontece, e quem atende o telefone é o Neal de 1998. 

Georgie fica completamente estressada com toda essa situação, será que ela está ficando louca? Será que ela tem um telefone mágico? O que está acontecendo? Sem conseguir focar no trabalho, ela procura por respostas, e então continua conversando com o Neal mais jovem todos os dias, até entender que está falando com seu namorado na semana que antecedia o natal de 1998, período em que os dois ficaram separados, pouco antes de Neal a pedir em casamento. 

Essa é a história de um relacionamento que está sempre sendo deixado em segundo plano por Georgie, seria essa a oportunidade dela mudar como mulher e consertar seu casamento? Ou talvez ela deveria fazer o Neal de 1998 desistir dela? O que aconteceria depois? Suas filhas iriam sumir? 

Comecei a ler esse livro super empolgada por ter me apaixonado por todos os casais que a autora criara em seus outros livros, porém essa história e esse casal acabou sendo uma decepção pra mim. Georgie resolve ficar na cidade para trabalhar, mas ela passou a semana inteira sem trabalhar, apenas enrolando o seu melhor amigo e companheiro de trabalho. Neal é um super pai, mas me parece ser um péssimo marido, péssimo namorado e um cara super chato. Não consegui conectar os personagens e não consegui sentir carisma por nenhum deles. 

A história é contada em terceira pessoa e ao longo dos capítulos a autora vai contando como o casal se conheceu e como foi a história dos dois ao longo dos anos. Apesar de ter achado um pouco bagunçado no início, a história tomou forma e melhorou muito depois da metade do livro. Mas infelizmente não foi uma história que me empolgou. 

Livro no Skoob: Ligações
Nota: