27 setembro 2016

Resenha: Mau Começo


Então, fim do semestre está só correria com o meu TCC, não estou tendo tempo para ler meus livros, para assistir séries e filmes, e nem para vir aqui no blog dar o ar da graça, infelizmente, mas assim que essa fase passar, vou voltar a postar normalmente.

O tema do meu TCC é Desventuras em Série, e como estou MUITO nesse clima, resolvi fazer a resenha do primeiro livro, se conseguir, voltarei para postar a resenha dos demais livros.

Mau Começo
Lemony Snicket
Editora: Companhia das Letras
Tradução: Carlos Sussekind

"Mau Começo é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Klaus, Sunny e Violet, são encantadores e inteligentes, mas ocupam o primeiro lugar na classificação das pessoas mais infelizes do mundo. De fato, a infelicidade segue os seus passos desde a primeira página, quando eles estão na praia e recebem uma trágica notícia. Esses ímãs que atraem desgraças terão de enfrentar, por exemplo, um gosmento vilão dominado pela cobiça, um incêndio calamitoso, roupas que pinicam o corpo e mingau frio no café da manhã. É por isso que, logo na quarta capa, Snicket avisa ao leitor: 'Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere'."

Conheci a série através do filme, fiquei encantada com a história e sempre que tinha oportunidade, assistia novamente. Depois de muito tempo consegui ler todos os livros da série e me apaixonei mais ainda. Os livros são um pouco diferente do que o filme apresenta, mas consigo gostar muito das duas obras.

Em Mau Começo somos apresentados aos irmãos Baudelaire: Violet é uma garota muito inteligente que está sempre inventando, o seu cérebro funciona como uma grande máquina, repleta de roldanas, alavancas e engrenagens. Sempre que a garota vai criar alguma coisa, ela amarra um laço no cabelo para se concentrar. Violet sempre utiliza de suas criações para salvar seus irmãos de inúmeros problemas. Klaus, o filho do meio, é um leitor e pesquisador muito inteligente, que possuí um grande conhecimento literário e o utiliza para salvar suas irmãs em várias ocasiões. Sunny é a filha mais nova, é um bebê bem pequeno, que possuí quatro dentes bem afiados e adora morder. Ela não fala mais que algumas sílabas, mas pode ser bem compreendida por seus irmãos. 

Logo no início do livro as crianças descobrem que seus pais faleceram em um incêndio que destruiu a sua casa, e assim vão morar com um tutor. O tutor, conde Olaf, é dito ser o parente mais próximo geograficamente das crianças, é um homem muito alto e muito magro, sem higiene e bem grosso, trabalha como ator teatral e mora em uma casa em ruínas.

O primeiro livro é o início de uma aventura dramática e triste, como define Lemony Snicket:
"Se vocês se interessam por uma história com final feliz, é melhor ler algum outro livro. Vou avisando, porque este é um livro que não tem de jeito nenhum um final feliz, como também não tem de jeito nenhum um começo feliz, e em que os acontecimentos felizes no miolo da história são pouquíssimos." (SNICKET.2001, p. 9)
Conde Olaf, é uma pessoa muito ruim para as crianças. Em uma grande casa suja e bagunçada, os irmãos dividem um quarto com apenas uma cama e um colchão cheio de caroços, são obrigados a fazerem as tarefas da casa e aturar todos desaforos do tutor e seus amigos. Além disso, conde Olaf, juntamente de sua trupe teatral, arma para roubar toda a fortuna dos órfãos. 

Lemony Snicket é o investigador que narra a história dos irmãos Baudelaire, ele consegue passar para o leitor de forma divertida todos os acontecimentos infelizes da história. Frequentemente, ao longo dessa aventura, o mesmo explica diversos significados de palavras ou analogias que o leitor pode não conhecer, já que se trata de uma série de livros direcionada ao público infantil.

É uma leitura curta e rápida, um ótimo livro para passar o tempo que recomendo a todos. 


O longa-metragem Desventuras em Série, de origem estadunidense e alemão, foi lançado no Brasil no dia 21 de janeiro de 2005, e combina a história dos três primeiros livros: Mau Começo, A Sala dos Répteis e O Lago das Sanguessugas.


Livro no skoob: Mau Começo
Nota: 



06 setembro 2016

Resenha: Lola e o Garoto da Casa ao Lado



Demorei mas voltei, esse semestre vai ser mais complicado pra me postar no blog porque estou finalizando meu projeto de conclusão de curso da faculdade, mas sempre que tiver um tempinho eu volto aqui para atualizar e responder alguns comentários! :)

Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Tradução: Robson Falchetti Peixoto

“A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda, ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket, um inventor habilidoso, sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.”

Lola e o Garoto da Casa ao Lado é o segundo livro da série Anna, Lola e Isla escrita por Stephanie Perkins. Li o primeiro livro, Anna e o Beijo Francês, em 2014 e apaixonei, era louca para ler os outros livros mas nunca achava por um bom preço, até que na Bienal esse ano consegui comprar Lola e o Garoto da Casa ao Lado por R$10. 

A série não funciona como uma continuação, a autora conta em cada livro a história de um dos três personagens, e essas histórias e personagens possuem algum tipo de ligação. Os livros podem ser lidos de forma independente na ordem que o leitor desejar. 

Lola é uma garota cheia de personalidade que adora utilizar trajes diferentes para expressar seus sentimentos, abusando de perucas, peças com várias texturas e estampas, e tecidos variados. É uma garota normal, que vive uma vida tranquila ao lado de sua melhor amiga Lindsey, e trabalha em um cinema com Anna e St. Clair — confesso que pirei quando o casal apareceu no livro, me deu uma saudade tão boa! — que são seus melhores conselheiros. 

Lola foi criada por seu tio e seu companheiro, e, apesar de seus pais não aceitam seu namoro com Max, um garoto mais velho que canta em uma banda de rock, Lola acredita que seu relacionamento está no caminho certo e que um dia seus pais vão perceber que a diferença tão grande de idade não atrapalha em nada no amor que ela sente pelo garoto.

Tudo muda na vida de Lola quando ela descobre que seus antigos vizinhos estão mudando de volta para a casa ao lado. Os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, estão de volta para sua vida e Lola não sabe como reagir a isso tudo. 

Cricket foi o garoto por quem Lola se apaixonou mas tentou esquecer, agora ela começa a ficar na dúvida sobre seus sentimentos em relação ao garoto e a Max. Além de toda essa confusão, Lola ainda é atormentada com os problemas familiares que voltam a tona. 

Lola e o Garoto da Casa ao Lado é um romance adolescente que te prende do início ao fim, é um livro de fácil leitura e que te faz torcer pelos personagens. Lola é uma garota carismática que passa por inúmeros problemas, sofri e sorri junto com a garota lembrando de vários momentos do meu passado. Stephanie Perkins conseguiu manter a química nesse segundo livro, é tão bom quanto o primeiro e eu recomendo muito a leitura a todos. 

Nota: