08 agosto 2017

Resenha: A Maldição do Titã

Percy Jackson e os Olimpianos
A Maldição do Titã

Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Tradução: Raquel Zampil
"Um chamado do amigo Grover deixa Percy a postos para mais uma missão: dois novos meios-sangues foram encontrados, e sua ascendência ainda é desconhecida. Como sempre, Percy sabe que precisará contar com o poder de seus aliados heróis, com sua leal espada Contracorrente... e com uma caroninha da mãe. O que eles ainda não sabem é que os jovens descobertos não são os únicos em perigo: Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros, e nossos heróis serão presas fáceis. Um monstro ancestral foi despertado – um ser com poder suficiente para destruir o Olimpo –, e Ártemis, a única deusa capaz de encontrá-lo, desapareceu. Percy e seus amigos têm apenas uma semana para resgatar a deusa sequestrada e solucionar o mistério que ronda o monstro que ela caçava.  Divertidíssima e repleta de ação, essa terceira aventura da série coloca nosso herói e seus aliados frente a frente com o maior desafio de suas vidas: a terrível profecia da maldição do titã."

Esse é o terceiro livro da série, e esta resenha
pode conter spoilers dos primeiros livros! 


A função principal de um sátiro é encontrar e levar meio-sangues em segurança para o acampamento. Nessa nova aventura, o sátiro Grover encontra dois irmãos semideuses em uma escola e pede a ajuda de seus amigos Percy, Annabeth e Thalia, agora em forma humana, para leva-los em segurança ao acampamento, já que monstros estão atrás deles, e os irmãos precisam de um treinamento adequado.

Porém, a busca por Nico di Angelo e Bianca di Angelo acaba sendo mais difícil que parecia, e, apesar de contar com a ajuda das Caçadoras de Ártemis, um grupo de garotas que renunciaram a companhia de homens para seguir a deusa da caça e da lua, o monstro escapa levando Annabeth. 

Ártemis convence Bianca a se tornar uma caçadora, lhe oferecendo liberdade e imortalidade, a garota, cansada de sempre cuidar do seu irmão, aceita a oferta, deixando Percy e Thalia chateados. A deusa então manda as caçadoras para o acampamento com os semideuses e parte em busca de um monstro poderoso. 

Com o tempo Percy começa a ter sonhos estranhos com Luke, Annabeth e Ártemis, e acredita que Annabeth e Ártemis estão correndo perigo. 

Enquanto Luke continua em busca do seu desejo de destruir o Olimpo, Zoë Doce Amarga, a mais velha das caçadoras, é mandada pelo Oráculo para a missão em busca das duas desaparecidas, ela pode escolher dois semideuses e duas caçadoras para a acompanhar na missão, então ela resolve levar Grover e Thalia, que se ofereceram, e Bianca e Febe.

“A oeste, cinco buscarão a deusa acorrentada,
um se perderá na terra ressecada,
a desgraça do Olimpo aponta a trilha,
Campistas e Caçadoras, cada um, brilha,
a maldição do titã um deve sustentar,
“E, pela mão do pai, um irá expirar.”

Percy ficou chateado por não ser escolhido para participar da missão, e mesmo assim resolve ir atrás de seus amigos com a ajuda de Blackjack, seu pégaso. A presença de Percy acaba sendo uma boa ideia, apesar de errada, porque Febe tem um problema e não pode mais participar da missão, então os amigos puderam contar com sua ajuda. 

Rick Riordan conseguiu escrever mais um ótimo livro para a saga, com mais aventuras, mais lutas, mais sabedoria, novos personagens, contanto um pouco mais sobre a mitologia e melhorando aspectos dos dois primeiros livros, como o amadurecimento dos personagens, mais diálogos e maior interação dos deuses com os semideuses. Gostei tanto de A Maldição do Titã como dos outros livros, uma pena ter demorado tanto para começar a ler. Recomendo a todos.


Livro no Skoob: A Maldição do Titã
Nota:


20 julho 2017

Resenha: O Mar de Monstros

Percy Jackson e os Olimpianos
O Mar de Monstros

Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Tradução: Ricardo Gouveia
“Nessa nova aventura, Percy e seus amigos estão em busca do Velocino de Ouro, único artefato mágico capaz de proteger da destruição seu lugar predileto e, até então, o mais seguro do mundo: o Acampamento Meio-Sangue. Com o envenenamento da árvore de Thalia por um inimigo misterioso, as fronteiras mágicas que protegem o Acampamento estão ameaçadas, e é preciso buscar o antídoto.
Assim, nossos heróis partem em uma arriscada e incrível viagem pelo Mar de Monstros, localizado nas coordenadas 30-31-75-12: uma referência ao Triângulo das Bermudas. Lá, enfrentam seres fantásticos e muitos perigos e situações inusitadas, que põem à prova seu heroísmo e sua herança – quando Percy irá questionar se ser filho de Poseidon é uma honra ou uma terrível maldição. Combinando fatos contemporâneos com mitologia, fantasia com erudição, O Mar de Monstros diverte, encanta e ensina pais e filhos.”


Esse é o segundo livro da série, e esta resenha
pode conter spoilers do primeiro livro! 


No final do primeiro livro, Percy volta para casa e tenta viver uma vida normal com sua mãe Sally, porém, ele está tendo sonhos estranhos sobre seus amigos, e sonhar nem sempre é bom para um semideus. Percy já entende melhor sobre ser filho de um Deus e o que isso influencia sua vida, o personagem está bem mais maduro. Ele também fez um novo amigo, Tyson.

Além de não ter notícias de nenhum de seus amigos, Sally e Quíron não querem que o garoto volte para o Acampamento Meio-Sague, que está passando por problemas. Mas durante um jogo de queimada em sua nova escola, Percy é atacado e a escola acaba em chamas. O garoto é salvo por Annabeth, que o leva, junto de Tyson, para o acampamento. Ao chegar no acampamento, Percy descobre que Tyson na verdade é um ciclope, e filho de Poseidon, portanto, seu meio irmão; e também que Grover, seu melhor amigo, está desaparecido desde que saiu em busca de Pã. 

Para piorar, a árvore de Thalia que protege toda a área do acampamento foi envenenada, e sem a proteção, eles estão sendo atacados por monstros. Quíron está sendo culpado pelo acontecimento, então Dioniso, diretor do acampamento e também conhecido como senhor D, colocou Tântalo para comandar os campistas no lugar de Quíron, porém ninguém gosta muito dele, e ele não gosta nem um pouco de Percy. 

O Velocino de Ouro é o único objeto capaz de curar a árvore, mas sua busca é perigosa, e todos que foram até lá nunca voltaram. Percy e Annabeth acreditam que Grover possa ter chegado até o local que está escondido o objeto mágico, pois Percy possuí uma ligação muito forte com o amigo, porém o Oráculo decide que essa é uma missão para Clarisse, filha de Ares. 

Contrariando as ordens de Tântalo, Percy, Annabeth e Tyson vão escondidos atrás do Velocino de Ouro e de Grover, mas para chegar até o local desejado, eles precisam atravessar o Mar de Monstros, e assim inicia uma grande aventura, onde conhecemos mais a fundo cada personagem. 

Rick Riordan conseguiu manter o ritmo da história nesse segundo livro, os personagens estão mais maduros e a história mais emocionante. Muitas revelações foram feitas nesse livro, o que deixou a leitura ainda mais interessante. Recomendo a todos!

Livro no skoob: O Mar de Monstros
Nota:


O livro ganhou uma versão cinematográfica em 2013 com direção de Thor Freudenthal, mas assim como o primeiro, o filme não caiu na graça de muitos fãs por não seguir o roteiro do livro que originou a história. Como disse no post anterior, gosto de ver as duas obras como histórias diferentes sobre um mesmo tema, assim consigo gostar muito das duas, tenho um grande amor pelo livro, como tenho pelo filme. 



18 julho 2017

Resenha: O Ladrão de Raios

Li esse livro já faz um bom tempo, mas só agora acabei de ler a série, então resolvi postar todas as resenhas aqui no blog, incluindo dos livros extras que pretendo ler na minha meta de leitura desse ano.

Percy Jackson e os Olimpianos
O Ladrão de Raios

Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Tradução: Ricardo Gouveia

"O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade. O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos - jovens heróis modernos - terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses."

Perseu Jackson é um garoto de 12 anos, que vive em New York com sua mãe Sally. Percy, como é conhecido, é um garoto comum como qualquer outro, exceto por sua dislexia e transtorno do défice de atenção com hiperatividade, que acaba o atrapalhando em diversas situações, principalmente nas diversas escolas que ele frequentou.

A vida do garoto muda completamente durante uma excursão do sexto ano ao museu para uma aula de mitologia grega. Sua professora de iniciação álgebra, pessoa com que ele sempre teve muitos problemas, aparece e o chama em um canto para resolver algumas adversidades e, do nada, se transforma em um monstro horrível. Percy fica completamente assustado, até que seu professor, Sr. Brunner, o joga uma caneta esferográfica que se transforma em uma espada de bronze, que acaba virando então sua melhor amiga, Contracorrente. 

Percy começa a acreditar que está enlouquecendo, até que sua mãe e seu melhor amigo Grover Underwood o chamam para uma conversa muito séria. Percy Jackson é um semideus.

Grover e Sally precisam levar Percy ao Acampamento Meio-Sangue, lugar onde a maioria dos semideuses passam as férias aprendendo mais sobre suas vidas, sobre línguas e a lutar. Ao chegar perto do acampamento, eles se deparam com um Minotauro imenso e furioso. Em meio ao problema, Percy consegue atravessar os portões do acampamento em segurança, mas teve que deixar sua mãe para trás, e assim dar início a sua nova vida. 

No acampamento, Percy descobre que Sr. Brunner na verdade é Quíron, um centauro muito importante, e seu melhor amigo Grover é um sátiro que possuí fortes ligações com ele. Ele também faz amizade com Annabeth Chase, filha de Atena. 

Poseidon, o deus do mar, assume para todos do acampamento ser pai de Percy, porém ele descobre que não deveria ter nascido, pois na história dos deuses, depois da segunda guerra mundial, os três grandes Zeus, Poseidon e Hades, fazem uma promessa de não gerarem mais filhos semideuses. Com isso cai para cima de Percy a suspeita de ter roubado o raio mestre de Zeus, sua fonte de poder, para que Poseidon pudesse conquistar o trono. 

"Você irá para o oeste, e irá encontrar o deus que se tornou desleal.
Você irá encontrar o que foi roubado, e o verá devolvido em segurança.
Você será traído por aquele que o chama de amigo.
E, no fim, irá fracassar em salvar aquilo que mais importa."

O Oráculo de Delfos deu o destino de Percy nessa missão, e como ele suspeita de que Hades é o verdadeiro ladrão e que está com sua mãe, ele aceita a missão, e, junto de seus amigos, vão em busca da verdade.  

O Ladrão de Raios foi uma leitura muito agradável, a escrita do autor me prendeu do início ao fim, foi o primeiro livro que li sobre deuses da mitologia, e apesar de não entender muito sobre o assunto, não me senti perdida, pois o autor vai explicando tudo de acordo com as experiências de Percy, o leitor vai aprendendo junto ao personagem. Recomendo a todos.

Livro no skoob: O Ladrão de Raios
Nota:  


O livro ganhou uma versão cinematográfica em 2010 com direção de Chris Columbus, e apesar de ter sido um grande sucesso mundial, o filme não caiu na graça de muitos fãs por não seguir o roteiro do livro que originou a história. Confesso que eu sou grande fã do filme, pois foi ele que me convidou a conhecer melhor a série, e apesar da grande modificação feita para as telinhas, gosto de ver as duas obras como histórias diferentes sobre um mesmo tema, assim consigo gostar muito das duas.



07 julho 2017

#ParaVer - GLOW


GLOW é a nova série da Netflix baseada no programa de TV Gorgeous Ladies Of Wrestling, um reality show dos anos 80 onde um grupo de lutadoras amadoras se apresentavam dentro de um ringue.

A série conta a história de Ruth Wilder, uma atriz desempregada que, em busca dos seus sonhos, acaba encontrando a oportunidade de brilhar quando é convidada para participar de uma audição de um programa de TV, onde várias mulheres sem experiências de atuação ou luta, criam um grande laço de amizade e fazem de tudo para o programa dar certo.

Quando eu assisti o trailer da série eu fiquei bastante animada, mas confesso que os primeiros episódios me deixaram um pouco entediada. Assim que a série de TV vai ganhando forma, os episódios vão melhorando, e os personagens acabam nos conquistando. GLOW vai muito além de uma fotografia maravilhosa, figurino impecável e uma boa trilha sonora, a série aborda muitos temas importantes e atuais, como traição, amizade, confiança, aborto, e força de vontade. A série é bem curtinha, recomendo a todos!

Sinopse:
Baseada na adorada série dos anos 80, GLOW conta a história fictícia de Ruth Wilder, uma atriz desempregada e batalhadora em Los Angeles nos anos 80, que encontra sua última chance de virar estrela ao entrar de cabeça no mundo do glitter e dos colãs da luta livre de mulheres. Além de trabalhar com 12 mulheres excêntricas de Hollywood, Ruth precisa competir com Debbie Eagan, uma ex-atriz de novelas que deixou sua carreira de lado para ser mãe, mas voltou ao trabalho quando percebeu que sua vidinha perfeita não era bem o que parecia ser. Dirigindo todas elas está Sam Sylvia, um diretor de filmes de segunda categoria, acabado e viciado em cocaína, que agora precisa liderar este grupo de mulheres em uma jornada rumo ao estrelato da luta livre.

Elenco:
Alison Brie como Ruth Wilder: Zoya, a Destróia
Betty Gilpin como Debbie Eagan: Liberty Belle
Sydelle Noel como Cherry Bang: Junk Chain
Britney Young como Carmen Wade: Machu Pichu
Marc Maron como Sam Sylvia
Britt Baron como Justine Biagi
Jackie Tohn como Melanie Rosen: Melrose
Kimmy Gatewood como Stacey Beswick
Rebekka Johnson como Dawn Rivecca
Kate Nash como Rhonda Richardson: Britannica
Sunita Mani como Arthie Premkumar: Beirute, a Terrorista
Kia Stevens como Tammé, a Rainha do Bem-Estar
Gayle Rankin como Sheila, a Loba
Ellen Wong como Jenny Chey: Biscoito da Sorte
Chris Lowell como Sebastian "Bash" Howard
Alex Rich como Florian

Trailer: 


22 junho 2017

Últimos filmes vistos - #19

Fiquei um tempinho sem postar essa coluna aqui no blog porque estive ocupada fazendo uns trabalhos, lendo uns livros e colocando algumas séries em dia, aí fiquei um tempinho sem assistir nenhum filme novo.

Assisti Velozes e Furiosos 8 e Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar no cinema, os demais eu assisti pela Netflix.

Nerve: Um Jogo Sem Regras
"Uma garota, prestes a sair do ensino médio e sonhando em ir para a faculdade, decide participar de um jogo online: verdade ou consequência, um jogo onde todos os seus passos e atos são vistos e manipulados por uma comunidade anônima de hackers."

Quando vi o trailer desse filme no cinema, fiquei louca para assistir, achei que a história seria interessante e também por gostar muito da atuação da Emma Roberts. Acabou que não consegui ver o filme no cinema, mas assim que estreou no catálogo da Netflix eu já assisti. O filme é bem interessante e mostra o desespero dos adolescentes em serem populares, além de abordar um tema delicado como os jogos de influenciadores. O filme é legal e indico para passar o tempo.

Velozes e Furiosos 8
"Agora que Dom e Letty estão em lua de mel e Brian e Mia se retiraram do jogo – e o restante da equipe foi exonerada – o time segue com uma vida normal. Mas, quando uma mulher misteriosa seduz Dom para o mundo do crime, ele parece não conseguir escapar e a traição das pessoas próximas à ele fará com que todos sejam testados de uma forma como nunca antes foram."

Podem lançar mais mil filmes da franquia que eu vou assistir empolgada a todos! Saí do cinema muito satisfeita com o que eu vi, teve muita explosão, muita cena exagerada, muitos carros e uma história bem legal por trás disso tudo. Sem dúvidas é o meu tipo de filme!

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar
"O azarado Capitão Jack Sparrow encontra os ventos da má sorte assoprando mais forte ainda quando piratas fantasmas mortais liderados por seu velho inimigo, o aterrorizante Capitão Salazar, escapam do Triângulo do Diabo, determinados a matar todos os piratas no mar... incluindo ele. A única esperança de sobrevivência do Capitão Jack encontra-se em buscar o lendário Tridente de Poseidon, um poderoso artefato que dá sobre seu possuidor total controle sobre os mares."

Sou apaixonada pela franquia, fiquei com o coração apertado em ter que despedir de personagens que marcaram tanto meu crescimento, mas fiquei feliz pela forma em que foi encerrado esse ciclo, espero que a Disney nunca acabe com Piratas do Caribe, e que venha mais uns dez filmes! A Vingança de Salazar trouxe novamente as características dos primeiros filmes, a comédia e a ação, fiquei muito feliz com o resultado!

Entre a Verdade e a Felicidade
"Harry batalha duro para conquistar Grace e está ansioso para conhecer seus pais, mas um segredo em comum vem à tona e ameaça o amor do casal."

Assisti por causa da atriz Sara Paxton, que eu adoro. É uma comédia romântica legal para passar o tempo, não é um grande filme, só é divertido. Ah, nunca vou entender porque o ator Jonathan Sadowski é tratado como galã em tudo que ele faz, eu acho ele muito estranho.

Chamas da Vingança
"Uma grande onda de sequestros varre o México, fazendo com que muitos de seus cidadãos mais ricos contratem guarda-costas para seus filhos. John Creasy é um desmotivado ex-agente da CIA, que é levado à Cidade do México por seu amigo Rayburn. Sem emprego, ele aceita a proposta de ser guarda-costas da pequena Pita, uma garota de 9 anos que é filha de um industrial. Incomodado com as perguntas constantes da garota, John inicialmente vê seu novo trabalho como um fardo mas, aos poucos, cria amizade com Pita e passa a ter um novo ânimo em sua vida. O sequestro de Pita desfaz esta situação, fazendo com que ele, mesmo ferido, parta para resgatá-la a qualquer custo."

Esse filme esteve na minha lista de filmes para assistir desde sempre por causa da Dakota Fanning, até que esse final de semana o filme estava passando na tv e meu namorado começou a falar sobre, fiquei muito curiosa e revi o filme todo pela Netflix. A história é muito interessante, a forma que é contada é muito crua e te faz sentir como se fosse um personagem, a edição ajudou muito a criar esse feito, recomendo.

Bom, esses foram meus últimos filmes vistos. E ai, já viu algum?


07 junho 2017

Resenha: True

True
Hilary Duff e Elise Allen
Editora: Editora iD
Tradução: Otávio Albuquerque
"Agora Clea precisará enfrentar uma nova realidade. Para o seu alívio, Sage continua vivo, mas não possui mais o Elixir da Vida - portanto tornou-se mortal. Mais complicado que isso é o fato de sua alma pertencer a outro corpo, o de Nico, que acabou morrendo durante o confronto final. Além de não ser tão fácil se adaptar à nova aparência de Sage, Clea teme perder a amizade de Rayna, namorada de Nico, que pode não aceitar o fato de continuar vendo seu namorado com a alma de outro homem.
Para complicar, Sage não parece tão à vontade nesse novo corpo: ele começa a ter lapsos de memória constantes, muito cansaço e a demonstrar reações cada vez mais agressivas, colocando em risco não só a própria vida como a de Clea. Será que eles vão conseguir achar a resposta para esse descontrole de Sage? Em uma corrida contra o tempo, Clea e Sage buscam desesperadamente a cura para isso, porque ambos sabem que agora só lhes resta uma vida para finalmente serem felizes."

Esse é o terceiro livro da série, e esta resenha
pode conter spoilers dos primeiros livros! 


Chegamos então ao final da trilogia Elixir, que conta a saga de amor eterno entre Clea e Sage. O terceiro livro inicia com Clea, Ben e Sage, agora vivendo no corpo de Nico, voltando para casa. 

Clea agora precisa contar para sua melhor amiga que o namorado dela morreu, e quem ela vê no corpo de Nico é Sage, e, como se não fosse complicado o bastante, ao chegar em casa, Rayna, a melhor amiga, briga com ela quando descobre que Nico faleceu, sem deixar Clea contar o que aconteceu. Rayna fica completamente irritada e diz que tudo gira em torno de Clea, e vamos combinar, gira mesmo, e esse é um dos pontos fracos da trilogia. 

True é narrado por Clea e Rayna, alternando em cada capítulo, e o foco principal agora são os problemas que Sage está tendo em seu novo corpo. Sua alma está rejeitando o corpo de Nico, o tornando um homem muito agressivo, capaz de machucar quem estiver pela frente, inclusive Clea. 

Ben, que sofre por ter tirado a vida de Nico, e Clea, que quer o seu amado bem e ao seu lado para enfim viverem juntos, começam a pesquisar como resolver o novo problema de Sage. 

Depois de um tempo de aceitação, Rayna volta a conversar com Clea para entender o que realmente aconteceu com Nico, e ao perceber como Sage estava, a garota, muito esperançosa, acredita que Nico ainda esteja dentro de seu corpo e que ele procura paz. Rayna então resolve ajudar seus amigos, pensando em como ajudar o seu amor. 

O final da série foi um completo desastre, toda a ação e todos os mistérios criados no segundo livro foram completamente esquecidos. Clea voltou a ser uma personagem sem graça e o romance continua patético, posso dizer aqui que foi ainda pior nesse livro, já que Clea sofria com as crises de Sage e continuava como se nada tivesse acontecido. 

Como se não bastasse a falha na continuação e o retrocesso dos personagens, ainda tivemos que engolir a história de que ninguém viu ou reconheceu Nico, antigo funcionário da casa que faleceu e teve até uma homenagem após sua morte, ou, que ninguém percebeu ou achou estranho o fato de Clea agora namorar o noivo de sua melhor amiga Rayna, que tinha morrido.  

Eu poderia até falar aqui que não valeu a leitura, já que o segundo livro teve uma história melhor e que poderia até ter acabado ali mesmo sem dar mais explicações, até porque o terceiro livro também não deu essas explicações, mas para mim valeu só porque consegui comprar o box por R$20, então foi uma leitura rápida que compensou no meu bolso. 

Leia a resenha dos primeiros livros da trilogia: Elixir e Devoted.

Livro no Skoob: True
Nota:


02 junho 2017

Resenha: Devoted

Devoted
Hilary Duff e Elise Allen
Editora: Editora iD
Tradução: Otávio Albuquerque
"Um amor perdido, mas nunca esquecido…
'Sage é minha alma gêmea. Nós nos amamos há muitas vidas, mas tudo sempre acaba de maneira trágica… Desta vez, no que depender de mim, será diferente. Ele é imortal, e carrega o Elixir em suas veias. Foi arrancado de mim, mas tenho certeza que ainda está bem… por enquanto. Ben, meu grande amigo, vai me ajudar a encontrá-lo, mas para isso teremos de nos aliar à Vingança Maldita. Será mesmo a coisa certa a fazer? Ou será que estou apenas selando novamente nosso destino trágico? Sou Clea Raymond, e vou lutar pelo meu amor com devoção.'"

Esse é o segundo livro da série, e está resenha
pode conter spoilers do primeiro livro!


Como o primeiro livro da trilogia, Elixir, não me agradou tanto, demorei muito para iniciar a leitura do segundo livro, até que um dia, do nada, resolvi terminar de ler a série e acabei surpreendida.

Em Devoted somos apresentados a novos personagens muito importantes para o desenvolvimento da série, como Suzanne, a nova funcionária da mãe de Clea, que também é a nova "namorada" de Ben; Nico, o novo funcionário da casa, também conhecido como a nova paixão de Rayna; e, Amélia e sua família. 

Clea está desesperada desde que Sage foi levado pelos Redentores da Vida Eterna e está fazendo de tudo para encontrar seu amado. Um dia, quando vai visitar o "túmulo" de seu pai, ela percebe que seu colar que ficava no lugar havia desaparecido, e no susto, pessoas estranhas aparecem para ela, deixando um recado, e somem como fantasmas. 

As pessoas que aparecem para Clea são Amélia e sua família, pessoas que tomaram o elixir anos atrás e hoje perambulam no mundo como "almas livres", mas que estão em busca de uma forma para voltar a viver em seus corpos. Amélia é uma criança simpática, que tenta ajudar Clea sem sua mãe saber. Petra, sua mãe, por outro lado, está fazendo de tudo para atrapalhar Clea de encontrar Sage, ela faz aparições na cabeça de Clea, mostrando imagens para que ela desista de seu amor, e assim desligar o laço entre os dois. A briga entre mãe e filha ganha um grande destaque nesse livro.

Clea resolve se aliar à Vingança Maldita, um grupo formado por descendentes das pessoas que roubaram o elixir anos antes, e que agora estão cercados por uma terrível maldição. Esse grupo está atrás de Sage, pois, se eles conseguirem mata-lo, vão quebrar a maldição. Clea vê a Vingança Maldita como a única saída de encontrar seu amor, e junto de seus amigos, ela fecha um acordo com esse grupo.   

Esse livro é narrado por Clea e Amélia, alternando em cada capítulo, achei a parte da narrativa feita pela Amélia mais envolvente e mais interessante, tornou a leitura melhor, e nos permitiu conhecer a história por outro lado além do lado super apaixonado de Clea.  

O segundo livro foi mais intenso, mais interessante e melhor que o primeiro, a parte romântica continua sendo o ponto fraco da história, para mim continuou forçado, mas é uma boa leitura.

Livro no Skoob: Devoted
Nota:


26 maio 2017

Resenha: Elixir

Elixir
Hilary Duff (e Elise Allen)

Editora: Editora iD
Tradução: Otávio Albuquerque
"Com seus dezessete anos, Clea Raymond vem sentindo o brilho dos holofotes desde que nasceu. Filha de um renomado cirurgião e uma importante política, ela se tornou uma talentosa fotojornalista, refugiando-se em um mundo que a permite viajar para diversos lugares exóticos. No entanto, após seu pai ter desaparecido em uma missão humanitária, Clea começa a perceber imagens sinistras e obscuras em suas fotos revelando um belo jovem — um homem que ela nunca viu antes.

Quando o destino faz Clea se encontrar com esse homem, ela fica espantada pela conexão forte e instantânea que sente por ele. Conforme se aproximam e se envolvem no mistério do desaparecimento do pai de Clea, eles descobrem a verdade secular por trás dessa intensa ligação. Divididos por um amistoso triângulo amoroso e assombrados por um poderoso segredo que afeta seus destinos, eles embarcam em uma corrida contra o tempo para desvendar seus passados e salvar suas vidas - e seu futuro."

Eu sempre fui apaixonada pela Hilary Duff, sempre amei seus trabalhos como cantora e atriz, e quando vi que ela estava lançando um livro eu fiquei super empolgada com a ideia. 

Hilary veio para o Brasil divulgar o livro na Bienal do Livro do Rio e infelizmente eu não pude participar, fiquei completamente chateada, mas passou o tempo e acabei esquecendo o livro de lado, muito tempo depois consegui comprar o box completo com os três livros por apenas R$20,00, e assim que chegou, iniciei a leitura. 

Em Elixir, nós conhecemos Clea Raymond, uma garota de 17 anos que sempre esteve nos holofotes. Filha uma senadora e de um renomado médico, a garota sempre teve uma vida boa, ama fotografia e viaja o mundo todo trabalhando como fotojornalista. Mas as coisas começam a ficar confusas quando seu pai desaparece em uma missão humanitária no Rio de Janeiro e é dado como morto. 

A melhor amiga de Clea é Rayna, uma garota muito divertida que apaixona por todos os caras que aparecem na sua frente, ela mora na mesma propriedade de Clea, mas em uma casa menor, pois sua mãe é uma das funcionárias da mansão.  

Elas estão em uma viajem em Paris e Clea, como sempre, fotografando tudo, começa a perceber um homem misterioso no fundo de todas as suas fotos, um homem que ela nunca viu antes. Esse homem além de invadir todas as suas fotos, começa também a aparecer em seus sonhos, sonhos bem reais, onde ela era pessoas diferentes em outras épocas, e ela sempre fazia parte da vida desse homem. Ela fica muito assustada, mas também muito curiosa. 

Achei o início do livro muito emocionante e fiquei curiosíssima para saber quem era esse homem e porque ele aparecia em todas as fotos dela, mesmo as mais antigas. 

Clea recebe uma proposta de uma revista para ir ao Rio de Janeiro fotografar o carnaval, e como ela sempre teve um pressentimento que o pai ainda estava vivo, ficou empolgada com a ideia, e convidou seu amigo Ben, um garoto muito inteligente, para ir com ela. 

No Rio de Janeiro, em pleno carnaval, Clea acaba encontrando o homem misterioso, seu nome é Sage, e descobre que possuí uma conexão muito forte com ele. Clea, Ben e Sage agora estão envolvidos no mistério do desaparecimento do pai de Clea, e precisam correr contra o tempo para salvarem suas vidas. Com isso, eles descobrem o passado místico em volta dos três, que sempre viveram em um triangulo amoroso. 

A leitura é rápida e clara, a escrita está detalhada porém sem muita enrolação, os diálogos são bem construídos, assim como os personagens. Infelizmente não consegui simpatizar com Sage, e não vi química entre o casal. Achei muito melosa toda a parte romântica do livro, com isso, passou de um livro que tinha grande potencial para ser maravilhoso para um livro chato. Infelizmente, acabei decepcionada. 

Livro no Skoob: Elixir
Nota: