26 maio 2017

Resenha: Elixir

Elixir
Hilary Duff (e Elise Allen)

Editora: Editora iD
Tradução: Otávio Albuquerque
"Com seus dezessete anos, Clea Raymond vem sentindo o brilho dos holofotes desde que nasceu. Filha de um renomado cirurgião e uma importante política, ela se tornou uma talentosa fotojornalista, refugiando-se em um mundo que a permite viajar para diversos lugares exóticos. No entanto, após seu pai ter desaparecido em uma missão humanitária, Clea começa a perceber imagens sinistras e obscuras em suas fotos revelando um belo jovem — um homem que ela nunca viu antes.

Quando o destino faz Clea se encontrar com esse homem, ela fica espantada pela conexão forte e instantânea que sente por ele. Conforme se aproximam e se envolvem no mistério do desaparecimento do pai de Clea, eles descobrem a verdade secular por trás dessa intensa ligação. Divididos por um amistoso triângulo amoroso e assombrados por um poderoso segredo que afeta seus destinos, eles embarcam em uma corrida contra o tempo para desvendar seus passados e salvar suas vidas - e seu futuro."

Eu sempre fui apaixonada pela Hilary Duff, sempre amei seus trabalhos como cantora e atriz, e quando vi que ela estava lançando um livro eu fiquei super empolgada com a ideia. 

Hilary veio para o Brasil divulgar o livro na Bienal do Livro do Rio e infelizmente eu não pude participar, fiquei completamente chateada, mas passou o tempo e acabei esquecendo o livro de lado, muito tempo depois consegui comprar o box completo com os três livros por apenas R$20,00, e assim que chegou, iniciei a leitura. 

Em Elixir, nós conhecemos Clea Raymond, uma garota de 17 anos que sempre esteve nos holofotes. Filha uma senadora e de um renomado médico, a garota sempre teve uma vida boa, ama fotografia e viaja o mundo todo trabalhando como fotojornalista. Mas as coisas começam a ficar confusas quando seu pai desaparece em uma missão humanitária no Rio de Janeiro e é dado como morto. 

A melhor amiga de Clea é Rayna, uma garota muito divertida que apaixona por todos os caras que aparecem na sua frente, ela mora na mesma propriedade de Clea, mas em uma casa menor, pois sua mãe é uma das funcionárias da mansão.  

Elas estão em uma viajem em Paris e Clea, como sempre, fotografando tudo, começa a perceber um homem misterioso no fundo de todas as suas fotos, um homem que ela nunca viu antes. Esse homem além de invadir todas as suas fotos, começa também a aparecer em seus sonhos, sonhos bem reais, onde ela era pessoas diferentes em outras épocas, e ela sempre fazia parte da vida desse homem. Ela fica muito assustada, mas também muito curiosa. 

Achei o início do livro muito emocionante e fiquei curiosíssima para saber quem era esse homem e porque ele aparecia em todas as fotos dela, mesmo as mais antigas. 

Clea recebe uma proposta de uma revista para ir ao Rio de Janeiro fotografar o carnaval, e como ela sempre teve um pressentimento que o pai ainda estava vivo, ficou empolgada com a ideia, e convidou seu amigo Ben, um garoto muito inteligente, para ir com ela. 

No Rio de Janeiro, em pleno carnaval, Clea acaba encontrando o homem misterioso, seu nome é Sage, e descobre que possuí uma conexão muito forte com ele. Clea, Ben e Sage agora estão envolvidos no mistério do desaparecimento do pai de Clea, e precisam correr contra o tempo para salvarem suas vidas. Com isso, eles descobrem o passado místico em volta dos três, que sempre viveram em um triangulo amoroso. 

A leitura é rápida e clara, a escrita está detalhada porém sem muita enrolação, os diálogos são bem construídos, assim como os personagens. Infelizmente não consegui simpatizar com Sage, e não vi química entre o casal. Achei muito melosa toda a parte romântica do livro, com isso, passou de um livro que tinha grande potencial para ser maravilhoso para um livro chato. Infelizmente, acabei decepcionada. 

Livro no Skoob: Elixir
Nota: 



7 comentários:

  1. Oioi bonita!

    Hillary Duff só lembra a minha infância haha. A premissa do livro parece ser ótima, ainda mais quando eles vem pro Brasil!

    Que pena que não gostou do livro, é horrível quando colocamos tanta esperança em algo e acaba por nos decepcionando.

    Beijão
    www.cretinaliteraria.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Claris,
    Eu também adooooro a Hillary e quase comprei o livro por 15,00 em uma promoção. Acho que tomei a decisão certa. Não ler.
    Fico com uma imagem positiva da artista ainda, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Romance é o ponto chave quando se trata de livro sobre mistério né? Um pouco de exagero nessa parte e já estraga todo o resto, como aconteceu nesse caso. Uma pena, já que a obra parece ter mesmo muito potencial. Fiquei curiosa pra saber quem é o cara misterioso e onde o pai dela foi parar. Ainda mais sendo no Rio de janeiro né hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Claris!
    Eu adoro a Hilary, mas nunca tive vontade de ler esses livros dela. Achei que tem uma pegada de Os Imortais da Alyson Noel e sou traumatizada com essa série.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Dois Anos de Família Hallinson

    ResponderExcluir
  5. Oi Claris, tudo bem?
    Achei que você tava gostando do livro, me surpreendi com o parágrafo final.
    Eu fiquei curiosa com a parte do homem misterioso, que pena que a Hilary Duff não soube desenvolver tão bem o resto da trama.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oi Claris! Também gosto da Hilary, mas não li esta série. Que pena ter sido uma leitura decepcionante para você. Eu tenho ele aqui e espero ter uma experiência melhor.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Oi, Claris!

    Eu também gosto da Hilary, desde Lizzie McGuire, e fiquei super empolgada quando soube que ela havia escrito um livro. Ainda não li a trilogia, apesar de tê-la há um tempo. É tão chato quando a leitura nos decepciona assim, vamos torcer para que os próximos sejam melhores!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir