12 julho 2018

Resenha: Heroínas

Eu participei do lançamento do livro Heroínas que aconteceu na Livraria Leitura aqui em Belo Horizonte, tive a oportunidade de conhecer (e rever) as autoras, conhecer melhor as histórias pelo ponto de vista delas e pegar os autógrafos.

Heroínas
Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares
Editora: Galera Record

“Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais. A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram. E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças.
Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.”

Heroínas é um livro escrito por Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares, contém três contos inspirados em histórias da literatura reinventadas com protagonistas mulheres. 

O primeiro conto é inspirado em Os Três Mosqueteiros, escrito por Laura Conrado. Uma por todas e todas por uma é uma história sobre amizade e ajuda. Daniela d’Artagnan é uma jovem que sonha em trabalhar em uma ONG de animais chamada Mosqueteiros, ela tenta entregar seu currículo para fazer parte da ONG, porém um homem muito escroto a manda embora por ela não estar na faculdade e tecnicamente não ser apta para a vaga de estagiária.

Porém no caminho de volta ela encontra uns sujeitos maltratando um cachorro e começa uma briga em defesa do animal. Uma garota aparece e a ajuda nessa briga, Agnes, uma universitária que, por coincidência ou destino, trabalha na Mosqueteiros. Como Daniela deu um diagnóstico muito bom sobre o estado do pobre animal maltratado, Agnes resolve levar a garota para a ONG e Daniela acaba virando uma voluntária. 

Uma feira de adoção precisa ser feita pois o espaço no Mosqueteiros está lotado e assim impossibilita novos resgates. Com muito trabalho a fazer, Daniela agora precisa dividir o seu tempo entre ajudar a ONG que tanto ama, estudar para as provas do ENEM que estão próximas e ainda, acaba de descobrir que seu melhor amigo e paixonite secreta está solteiro e precisa dar atenção a ele. 

Daniela acaba descobrindo que as coisas dentro da Mosqueteiros não funcionam como imaginava e, com a ajuda e força de vontade de suas novas amigas, a garota vai fazer de tudo para salvar a ONG.

Comecei a leitura desse conto assim que compre o livro, enquanto esperava pelo evento de lançamento. Fiquei muito animada, a história começa super empolgante, achei os personagens carismáticos e o desenrolar é muito interessante. Porém, aos poucos a história vai se perdendo um pouco e ela termina como um conto de lição de moral. Aqui a autora fala sobre a importância de uma mulher ajudar outra mulher, sobre sororidade, sobre conquistas, sobre estar sozinha, sobre a importância da amizade e sobre pessoas dando conselhos na sua vida... meio que misturou tantos conselhos em uma história só que ficou meio chato. Porém, é uma história divertida ainda assim, e com um tema que eu adorei!

O segundo conto é inspirado em A Távola Redonda, escrito por Pam Gonçalves. Formandos da Távola Redonda fala sobre união, pessoas reunidas para conquistar algo desejado. Marina é uma garota muito inteligente e querida na escola, e após um roubo ter destruído os planos para a formatura do terceiro ano da Escola de Ensino Médio Professor José Carlos Ramos, ela foi escolhida pela diretora para ser a responsável pela comissão de formatura faltando apenas dois meses para o evento.

Os alunos não aceitavam pagar novamente todo o valor que foi roubado e também estavam bem desanimados em colaborar com a comissão de formatura, então Marina reuniu duas garotas de cada turma, e juntas elas criaram várias tarefas onde todos os alunos poderiam ajudar e arrecadar dinheiro de uma forma divertida. 

Com pouco tempo para organizar tudo, Marina, Poliana, Diana, Flávia, Sofia e Ludmila resolveram fazer o básico, incluindo em alguns dias do mês o dia do mico, onde os alunos deveriam ir fantasiados com algo pré selecionado, e caso algum aluno não participasse, deveria pagar um valor pré determinado. Elas também fizeram vendas de bolo na hora do recreio e também um dia para lavar carros. 

Com o ENEM próximo e muita matéria para estudar, com todo o stress de ter que elaborar formas para arrecadar dinheiro e criar uma festa em poucos dias, Marina ainda tinha que dar atenção ao seu namorado que estava desesperado para ter a primeira relação sexual do casal, porém Marina não se sentia pronta para isso e vivia enrolado o garoto.

Marina acabou descobrindo o quanto as demais garotas da comissão eram importantes para ela e como elas poderiam se ajudar. Com isso Marina acabou se descobrindo. 

A escrita da Pam é maravilhosa e me deixou muito empolgada com a leitura, li todo o conto de uma vez só. Nem todos os personagens da história me cativaram, mas alguns deles realmente não são para serem admirados. A história de Marina é muito bem elaborada, no final fiquei muito contente com tudo o que aconteceu. 

O terceiro conto é inspirado em Robin Hood, escrito por Ray Tavares. Robin, a proscrita conta a história de Roberta, uma craker, que usa da sua habilidade com computadores para ajudar os pobres.
Roberta Horácio já passou por muita coisa nessa vida, a garota perdeu sua mãe para uma doença por não ter dinheiro suficiente para pagar o tratamento e ainda viu sua ajuda ser negada por uma pessoa que prega a bondade entre os seres humanos. 

Revoltada com o sistema, Roberta e sua turma resolve ir atrás de justiça. A garota, que é muito inteligente e possuí uma vasta experiência com a tecnologia e computadores, faz uso do equipamento para ajudar ONGs que precisam de apoio financeiro. A garota que sempre viveu em uma comunidade pobre, tem um alvo em especial, o pastor Marcelo Felizzi, um homem que ficou rico através de desvios e enganando os fiéis, o mesmo homem que negou ajuda para o tratamento para a mãe de Roberta. 

Roberta, ou como dizem por aí, Robin Hood, desvia dinheiro sujo de políticos corruptos e falsos religiosos que usam da crença para tirar dinheiro das pessoas, e ajudam os mais necessitados. Robin Hood é uma heroína aos olhos de quem necessita de ajuda. 

Essa história é cheia de referência, Ray coloca elementos muito atuais e isso nos deixa na torcida para que Roberta consiga vencer o mal. A escrita da autora te prende, é um conto com muita ação e o tempo todo ficava imaginando o que poderia acontecer.

Em geral, Heroínas é livro bem divertido e interessante, uma leitura muito boa. Para mim, o que peca é ter incluído tantos movimentos em um livro curto como esse. Só de usar protagonistas mulheres em histórias mundialmente conhecidas já deixava claro que o livro era sobre o poder e força feminina, não gastava ficar falando isso o tempo todo no livro, acaba ficando chato. Mas de toda forma, recomendo a leitura para quem curte contos românticos e divertidos!

Livro no Skoob: Heroínas
Nota

12 comentários:

  1. Oi, Claris
    Existem alguns autores que sentem a necessidade de ficar voltando no mesmo tema do livro, pra lembrar do que é a história ou algo do tipo, e concordo que isso soa repetitivo. Eu amei a capa e fiquei sabendo do lançamento mas não tenho interesse em ler, não gosto de livros com contos assim.
    Beijos
    http://suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  2. Amazing post, dear! A big hello from Germany!
    Hugs ♥
    LIANA LAURIE

    ResponderExcluir
  3. Por cá nunca ouvi falar desse livro.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha! A premissa é maravilhosa, contos reescritos com personagens femininas se torna muito interessante. O problema é que o gênero não faz muito meu tipo. Ainda bem que gostou, quando o livro fica forçando muito a gente com repetições assim, naosei você, mas parece que tá até me chamando de burra hahaha

    Bjao,
    Querida Cretina

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha Claris. Me pareceu ser um livro de contos bacana e bem empoderado. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii Claris

    Eu dificilmente leio contos, demoro pra engrenar numa leitura e com o conto quando está terminando é justamente quando começo a pegar o ritmo então é meio frustrante. Além disso, pelo que percebi, Heroínas não apresenta nada muito inovador, é bem mais do mesmo, e acho que pra mim não seria um livro do coração. A capa é muito fofa, mas o livro em si acho que vou deixar passar.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Claris!
    Infelizmente nem todos os contos nos agradam. Esse primeiro tinha tudo para muito bom, mas é uma pena que ele se perdeu no caminho..
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Menina, eu não sou muito de ler contos, mas fiquei curiosa com esse livro, viu? Uma pena que a mensagem tenha ficado meio repetitiva, mas mesmo assim acho que, como tu disse, vale a pena dar uma chance. Vou ver se encontro ele por aqui, adorei a resenha!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  9. Oi Claris,
    Eu não sou uma fã de contos, mas li esse livro animada por ter ótimas referências das autoras.
    O melhor, para mim, foi o da Ray que teve de tudo um pouco e fechou a obra de uma maneira bem empolgante.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi
    que bom que curtiu a leitura, pena só que era muito informação para um livro pequeno, tenho interesse em ler ele, estou vendo bastantes resenhas positivas desse.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Muito bom!! Não conhecia o livro, ms gostei muito!! Acredito que seja uma trama repleta de questões e valores importantes. Eu adoro pessoas que amam animais, então já ganha ponto comigo saber da ong, dos resgates. INfelizmente muitas ongs não tem espaço que nem na tram ai... muitos bichinhos e mais gente ainda sem consciência. Quero muito ler!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  12. Eu não conhecia o livro, mas gostei muito! Menina... parece ser uma trama curtinha mas cheia de lições de companheirismo e emocionante. Eu amo animais e saber da ONG e da personagem que também ama os peludinhos já me deixa feliz. Infelizmente muitas ONGS já estao lotadas assim como na trama. Sao muitos bichinhos e mais ainda de gente sem noção que deixa eles por ai.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir